fim da odisséia.

Eu queria fazer um poema homérico
Que contasse histórias forjadas em fogo hadeano
Que descrevesse seres mitológicos
Com uma narrativa titânica

Eu quis fazer um conto sobre amor platônico
Mas me perdi em pensamentos afrodisíacos
Envolvendo algumas ninfetas

Eu quis criar uma retórica aristotélica
Fantasiando um conto dionisíaco
Ou dissertando num raciocínio apolíneo

Eu queria fazer um poema homérico
Que tarefa mais hercúlea!
Tentei compor versos líricos
Mas as palavras me foram levadas por força eólica.

Sobre bic azul

Uma caneta pode escrever qualquer coisa, boa ou ruim. Normalmente, ninguém liga muito se ela funciona. Mas, quando ela falha...
Esse post foi publicado em Poesias Abstratas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para fim da odisséia.

  1. Shunya disse:

    Assim a natureza se coloca sobre os pensamentos, cheios de terminologias, humano.
    Simples e ufa! Quantos nomes complicados…

  2. Fê_Notável disse:

    Olá Bic Azul!
    Espero que tudo esteja bem com você! Adorei o seu poema, porque sempre gostei muito de mitologia e porque ele retrata um pouco do meu desejo de escrever algo homérico, sobre Hércules e Afrodite… mas nunca consegui!
    Beijinhos pra você e um bom fim de semana!!!

  3. Thahy disse:

    Aiai…

  4. Shunya disse:

    andaram usando meu nick que coisa séria! uma m… ser ‘caipira’ de internet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s