dvd.

Como poderia estar tão tenso naquela situação? Afinal, já havia encontrado o melhor posicionamento, a arma já havia sido testada, a nova mira telescópica funcionava melhor do que imaginava. A vítima não era ninguém importante, levariam dias para determinar o ponto de disparo (onde teria ficado por pouco tempo), todos os vestígios de sua presença seriam eliminados. Então porque a tensão?

O pagamento já havia sido efetuado. “Serviço era simples”, lembrou. O cliente não fez nenhuma especificação: apenas o queria morto, bem morto.

Engoliu seco, repousou a arma sobre o chão e tentou pensar em outra coisa. A volta pra casa, em comprar ração para o cachorro, fazer o depósito para a mãe e o cereal. Sim, uma caixa grande de cereal. Gosta de sentí-los quebrar dentro da boca.

Inclinou-se mais tranqüilo pousando a arma pesada sobre o braço. Ajustou a mira uma vez mais e aguardou. Faltavam poucos segundos. O infeliz sairia e ele poderia voltar para casa. Subitamente se lembrou que precisava devolver alguns DVDs e que ainda não tinha visto um deles. Torceu pra acabar logo por isso.

Respirou fundo e aconchegou o dedo no gatilho. Suava.

Pela mira, viu a por do carro se abrir.

Tremeu.

Ficou indignado e abalado. Era como se o seu próprio corpo se voltasse contra ele! Perdeu o ponto de mira e recuperou rapidamente.

Concentrou-se.

Tinha poucos segundos para agir. Logo o sujeito estaria em segurança do lado de dentro e isso dificultaria as coisas. Havia um plano caso tal ação fosse necessária, mas arrepiava-se só de pensar na possibilidade.

Pela mira, observou os movimentos correndo como o previsto. A cabeça latejando. O suor.

“Vou mesmo matar um homem?”, pensou.

“Será que ele tem família? Alguém deve se importar com ele. Será que alguma criança depende dele? Quais serão as conseqüências?”

Tentou refutar tais pensamentos. “Sou um tolo apenas por considerá-los”. A vítima continuava o curto trajeto.

Quatro segundos. Ele só precisava de um.

A angústia o o arrependimento tardio o tomam por completo.

Três.

“Poderia devolver o dinheiro, alegar algo… posso ameaçar o mandante e fim. Fim da minha carreira, talvez até da minha vida”, sorriu pra si, sem alterar a expressão do rosto.

Dois.

Lembrou-se de que tinha que entregar os DVDs. Disparou.

Anúncios

Sobre bic azul

Uma caneta pode escrever qualquer coisa, boa ou ruim. Normalmente, ninguém liga muito se ela funciona. Mas, quando ela falha...
Esse post foi publicado em Contos Absurdos e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para dvd.

  1. Thahy disse:

    fantástico, bic. é incrivel como algumas decisões são assim tomadas…

    muuuito bom…

  2. Fê_Notável disse:

    Nossa!… denso… porém muito bom! Gosto de textos assim, que prendem a respiração do leitor até o fim…
    E acho que isto deve acontecer, mta gente cria coargem assim…
    Beijinhos e bom fim de semana!

  3. _Maga disse:

    Bah…q ue texto!!! parabéns novamente!!! A moral… o suspense… tudo! Ficou muito bom!!!! Adoro seu blog! Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s