Arquivo do mês: outubro 2006

quando.


quando nos olhamos senti que havia algo especial que só se descreve como indescritível No mais belo e perfeito dos paradoxos quando nós olhamos o que era diferente ou igual as voltas da vida nos torceu, terrível como nas barbas … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , | 2 Comentários

medida.


Um peso, duas medidas Quatro casamentos, um funeral A realidade fica distorcida Todo mundo diz que ‘não faz mal’. Como se mais-valia um na mão Que três pratos de trigo voando Talvez na contra-mão Mas os tigres estão cagando e … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , | 6 Comentários