quando.

quando nos olhamos
senti que havia algo especial
que só se descreve como indescritível
No mais belo e perfeito dos paradoxos

quando nós olhamos
o que era diferente ou igual
as voltas da vida nos torceu, terrível
como nas barbas dos judeus ortoxodos

quando nus, olhamos
sentimos o que nos era essencial
o resto mundo ficou intangível
no momento em que ficamos próximos.

Sobre bic azul

Uma caneta pode escrever qualquer coisa, boa ou ruim. Normalmente, ninguém liga muito se ela funciona. Mas, quando ela falha...
Esse post foi publicado em Poesias Abstratas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para quando.

  1. _Maga disse:

    bah… que lindo!!!!!

    essa bic azul escreve as palavras de uma forma bem incomum… tocantemente incomum

    beijos e parabéns

  2. tina oiticica disse:

    Gosto do fato de você não abusar de rimas pobres ou imagens gastas. No momento estou meio que gelada p/ poesia romântica. Minha mãe es†á internada, minha prima aqui nos EUA morreu. E os médicos não descobrem o quê é a causa do meu problema com as mãos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s