no metrô II.


Talvez, se tivesse que assistir a cena que ele próprio protagonizara, certamente ficaria envergonhado pelo seu modo de agir. Se por um lado, sempre foi muito gentil com todas as pessoas, por outro não fazia nada apenas para agradar alguém. Essas duas características tão distintas e tão intrínsecas em sua personalidade criavam um delicado paradoxo […]

no metrô I.


Estava tão perdido em pensamentos que nunca teria ouvidoi quando ela o chamou. Se bem que não pensava em nada especificamente: _ Ow! Você é surdo? _ Ih, desculpa. _ Tava viajando, heim? _ É… _ Mais um pouco, caía nos trilhos! _ Ia ser chocante. _ Besta! _ … – sorriu sem assunto. _ […]