não faz mal.

O que fazer
Com incoerência da humanidade?
Como lidar
Com a sua própria ignorância e insanidade?

Como convencer alguém
Que não existe nenhum crime no ócio?
E que, de repente
Viver pode até ser um bom negõcio?

Crime, castigo
Paz, inimigo
Agora eu duvido
De tudo que sei!

Não discurso a esperança
Nem finjo criança
Não me conceda essa dança
O pior de tudo eu já passei!

Não faz mal
Seu eu nem me sinto mal
Se tudo fica igual
Ou a encarnação do mal
Eu nunca fui normal
Mas era tão legal

Não faz mal
Não faz mal
Mas não faz bem
Também

Sobre bic azul

Uma caneta pode escrever qualquer coisa, boa ou ruim. Normalmente, ninguém liga muito se ela funciona. Mas, quando ela falha...
Esse post foi publicado em Poesias Abstratas e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para não faz mal.

  1. tina oiticica harris disse:

    Aí, algumas estrofes são show de bola. As idéias são ótimas, são as rimas em ade que não me caem bem desde que o nobre poeta as criticou em minha poesia.

    Gostei mesmo. Quando vai publicar?

  2. Renatinha disse:

    Bem, ser ou não ser já era um questionamento antigo, né? Já diria Shakespeare…
    Gostei da poesia…
    Bjs

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s