Arquivo do mês: julho 2007

(pro) fusão.


Outra vez acordou nu e com frio Mas desta vez não estava só Sentiu que havia mais um ou mais mil Era hora de voltar ao pó Num canto escuro alguém que choraria até Lendo uma lista telefônica Um outro … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , | 3 Comentários

despertar.


A luz do sol anunciava Que era manhã, no fim do verão Sobre lençóis delicados, se esticava Antes de decidir pôr os pés no chão Interrompeu o silêncio com um gemido Som abafado do seu espreguiçar Sorriu, talvez sem nenhum … Continuar lendo

Publicado em Contos Absurdos, Poesias Abstratas | Marcado com , , , , , | 6 Comentários