Arquivo do mês: novembro 2007

44.


Marina e Andreza caminham em direções opostas. Cada uma vem de um lado do palco e se encontram ao centro. Andreza: Marina! Marina: Oiiii!!? Andreza: Quanto tempo, querida! Marina: … ai, deve fazer tempo mesmo, porque eu não lembro de … Continuar lendo

Publicado em Contos Absurdos, Crônicas do Cotidiano | Marcado com , , , , , , , , , | 6 Comentários

insônia.


Esta noite havia vozes na escuridão A me acusar de crimes passados ou não ainda não Madrugada Pensamentos atingem com precisão Mas nada me aflige tanto como a solidão ou não Gritam as vozes Algozes sussuros De dias escuros De … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , , , | 4 Comentários

psicologia.


Ela abriu a porta do consultório com um sorriso: _ Bom dia, doutor. _ Bom dia. Como vai? Pode se sentar. _ Mas, doutor… não tem cadeiras aqui! _ Tem a minha. _ Mas o senhor está sentado nela. _ … Continuar lendo

Publicado em Contos Absurdos | Marcado com , , , , , , | 4 Comentários

correntes.


Pedro vê correntes girando em espiral num cenário idílico. Ele não se vê, apenas observa. Sente o vento e ouve o som do movimento das correntes. São enormes. Agora, giram em torno de um eixo central. Pedro vê um imenso … Continuar lendo

Publicado em Contos Absurdos | Marcado com , , , , , , | 5 Comentários