Arquivo da tag: Poesias Abstratas

já percebeu?


A gente anda tão distraído Que não lembra mais Onde estacionou Onde tudo começou Como se machucou E nem sabe como fez esse roxo aí braço E que aquela despedida não teve nenhum abraço Tão distraído que não vi você aí … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do Cotidiano, Poesias Abstratas | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

lá e cá.


Sobre o mar aberto Sob um céu fechado O pensamento vaga Enquanto o corpo se ocupa Tudo se revela com clareza Na câmera escura Feito uma fotografia do futuro Que se passa como memória É como reflitir Ainda que no … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , | Deixe um comentário

autua Judas.


Nada temaEscolha um tema Escreve,Escravodo expressar que lhe traz letrasImagens a imaginar Ditongos dizem tangosDizem tantoE oxítonas oxidamÀ sua áspera espera Escreve.És breve.Se atreve! mas sedes breveSemibreve Mais sede. Não se trema.Não há mais trema.

Publicado em Contos Absurdos | Marcado com , , , | Deixe um comentário

alienação 2.0


Informação Noite e dia A todo momento Em vão É anestesia do pensamento

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , | Deixe um comentário

janela.


Hoje eu vi a Terra girar no espaço Não numa maquete nem no planetário Era ela mesma. Linda. Azul, branca, vermelha, verde. Linda. Hoje eu vi o Sol ficar pequeno pela distância Mas sua luz irradiava todo um hemisfério Um … Continuar lendo

Publicado em Crônicas do Cotidiano, Poesias Abstratas | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

replay.


por viver, envelheça por envelhecer, conheça por conhecer, entristeça por entristecer, entorpeça por entorpecer, se perca por perder, enlouqueça por enlouquecer, desapareça por desaparecer, permaneça por permanecer, cresça por crescer, apareça por aparecer, mereça por merecer, viva.

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , | 5 Comentários

vai luzir.


Um minuto e nada mais: Uma palavra sagaz? Um desejo audaz? Um gesto incomum? Um instante atrás Poderia ser mais Completo e capaz, Como outro nenhum (…) Mas algo mudou O instante passou Uma luz se apagou Se tornou só … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , | 4 Comentários