Arquivo da tag: solidão

só.


O raio de sol que atravessou a janela lhe tocou a face, fazendo suas pálpebras se contraírem. Era tarde de sábado, no outono. A temperatura quente e agradável desmentiu a previsão do tempo. Ela fechou os olhos e não viu … Continuar lendo

Publicado em Contos Absurdos, Crônicas do Cotidiano | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , | 20 Comentários

na mira.


Pintei um alvo na minha testa Pra atrair bala perdida Pra não me perder por entre as balas Pintei um alvo na minha testa Pra ser vítima inocente E não covarde suicida Pintei um alvo no meu peito Pra andar … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , , | 4 Comentários

hora de partir.


O celular chamado Está desligado Ou fora da área de cobertura O trânsito parado O dia nublado Um ponto de ruptura O que passou, se foi A vida vai seguir E já não dói mais É hora de partir. O … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , | 3 Comentários

ludwing.


Silêncio absoluto. Ele estava encapuzado de luto no centro de uma encruzilhada. De certo, esperava alguém. Não era a velha espera, nem mesmo ele era também. Tinha um gosto enorme por música clássica, apesar do sonho antigo de comprar uma … Continuar lendo

Publicado em Contos Absurdos, Crônicas do Cotidiano | Marcado com , , , , , | 4 Comentários

álibi.


O álibi perfeito O crime do tempo Mais que imperfeito A hora H Um segundo qualquer O ponteiro de todas as letras A vida mansa Os cães raivosos A morte dança Te olhando nos olhos Uma voz Um eco Cada … Continuar lendo

Publicado em Poesias Abstratas | Marcado com , , , , , , , , , , , | 4 Comentários